Terapia Comportamental Cognitiva

 

A Terapia Comportamental Cognitiva (TCC) é uma terapia breve orientada para o presente, ou seja, direcionada para resolver problemas atuais, trabalhando o aperfeiçoamento de habilidades para modificar pensamentos e comportamentos disfuncionais.

Esta terapia está baseada no modelo cognitivo onde a forma pela qual o indivíduo percebe uma situação está mais próxima das reações que ele faz dessa ocorrência do que da ocorrência em si.

Segundo A. Beck

Formulação Cognitiva: crenças e estratégias de comportamento que caracterizam um transtorno específico.

Conceituação: entendimento do indivíduo e suas crenças específicas ou padrões de comportamento.

Modelo Cognitivo: a forma pela qual o indivíduo percebe uma situação está mais próxima das reações que ele faz dessa ocorrência do que da ocorrência em si.

Pensamentos automáticos: uma ideia que parece surgir do nada na mente das pessoas.

Benefícios da TCC

Através da terapia comportamental cognitiva os pacientes são capazes de ensinar seu cérebro a assimilar informações de uma forma diferente e a ver o mundo com outros olhos.

As pessoas aprendem a controlar a ansiedade e a considerar se suas crenças são racionais ou não. Começam a compreender como é pensar de forma clara e racional ao invés de permitir que pensamentos automáticos negativos e sentimentos controlem sua percepção.

Há uma mudança nas crenças sobre si mesmo, sendo possível sentir-se mais calmo e relaxado diante de situações antes amedrontadoras. Espera-se melhores resultados na vida, pois o pensamento torna-se mais razoável e realista.

 

A TCC funciona?

A TCC dá forças para enfrentar as situações de maneira saudável e ajuda a pensar melhor sobre nós mesmos e nossa vida.

Apesar de ser uma terapia breve, seus resultados são duradouros e suas técnicas auxiliam a encarar não só o motivo que nos levou a procurar ajuda como também a lidar com outros âmbitos da vida em geral.

Estudos avaliaram que, em adultos, a TCC apresentou resultados positivos para vários distúrbios tais como:

•  Ansiedade em geral

•  Pânico

•  Stress pós-traumático

•  Dores crônicas

•  Transtorno bipolar

•  Distúrbios obsessivo-compulsivos

•  Distúrbios de alimentação

•  Transtornos de personalidade

•  Distúrbios com uso de substâncias

•  Problemas de relacionamento

•  Depressão

•  Insônia

•  Esquizofrenia

•  Disfunções sexuais

•  Entre outros

As pessoas muitas vezes têm pensamentos ou sentimentos que reforçam ou compõem crenças erradas. Tais crenças podem resultar em comportamentos problemáticos que podem afetar inúmeras áreas da vida, incluindo família, relacionamentos, trabalho e a vida acadêmica.

Por exemplo, uma pessoa que sofre de baixa autoestima pode ter pensamentos negativos sobre suas próprias habilidades ou aparência. Como resultado desses padrões de pensamento negativo, o indivíduo pode começar a evitar situações sociais ou deixar passar oportunidades de crescimento profissional ou nos estudos.

Para combater esses pensamentos e comportamentos destrutivos, um terapeuta cognitivo-comportamental começa ajudando o cliente a identificar as crenças problemáticas. Esta fase, conhecida como análise funcional, é importante para aprender como pensamentos, sentimentos e situações podem contribuir para comportamentos desajustados.

 

Pontos básicos da TCC

 1  A forma como as pessoas estruturam as situações determina como elas se comportam ou se sentem.

 2  A interpretação é um processo ativo e contínuo, composto por avaliações de situação externa, capacidades de enfrentamento e os benefícios, riscos e custos potenciais de diferentes estratégias.

 3  Cada indivíduo tem sensibilidades idiossincráticas e vulnerabilidades que resultam em sofrimento psicológico.

 4  Algumas das grandes variações nas sensibilidades ou vulnerabilidades individuais são atribuídas a diferenças básicas na organização da personalidade.

 5  A atividade normal da organização cognitiva é afetada de forma contrária pelo estresse.

Devido a esses princípios, as pessoas costumam produzir regras e segui-las em suas vidas. As regras afetam as interpretações que fazemos e nos alimentam com ideias de como devemos e não devemos nos comportar. Ao conhecer as regras sob as quais um paciente opera, o terapeuta pode entender melhor seu comportamento ilógico e respostas emocionais anormais.

 
 

Biofeedback

Existem várias atividades do nosso corpo sobre as quais temos total controle, como por exemplo, bater palmas, cruzar braços, etc. Outras funções como batimentos cardíacos, pressão sanguínea, temperatura, são controladas pelo nosso sistema nervoso. Não pensamos, por exemplo, em fazer nossa pressão sanguínea aumentar ou nosso coração bater mais rápido. Essas funções simplesmente acontecem como resposta ao nosso ambiente dependendo se estamos amedrontados, nervosos, ansiosos ou fazendo alguma atividade física. Biofeedback é uma técnica que nos ajuda a ter controle sobres estas funções involuntárias. É uma aprendizagem que ocorre quando temos uma referência em tempo real sobre nós mesmos. Essa técnica faz com que nos tornemos conscientes do que está acontecendo dentro do nosso corpo e, por isso, adquirimos mais controle sobre nossa saúde.
Instrumentos precisos medem atividades fisiológicas de uma forma rápida e precisa e dão um retorno ao usuário. De posse dessa informação e associado a uma terapia é possível promover alterações de pensamentos, emoções, comportamento e obter mudanças fisiológicas desejadas. Com o tempo essas mudanças podem se tornar duradouras sem o uso continuado de um instrumento.

As informações adquiridas pelas técnicas do biofeedback ajudam o psicólogo a enxergar o que se passa no corpo do paciente no mesmo momento em que ele está enfrentando seus medos (reais ou imaginários). Nesse instante o paciente vai se autoajustando com técnicas de respiração e controle ensinadas pelo psicólogo. E é dessa forma que o biofeedback auxilia para uma vida com menos estresse, menos ansiedade, mais concentração, foco e, é claro, mais tranquilidade.

Diversos estudos têm demonstrado a eficácia do biofeedback no contexto clínico, esportivo e escolar ganhando destaque na mídia nacional e internacional.
Existem diferentes tipos de biofeedback que são usados para monitorar diferentes funções do corpo e Neurofeedback é um deles. Essa técnica se utiliza do conceito de biofeedback e mede as ondas cerebrais. É utilizada para pessoas com TDAH, ansiedade, depressão e vários outros transtornos.

© 2018 by Interstatus

Logo IS.png